Toque para Oxum – 09 de Dezembro

“Oxum é a divindade do amor.

Ela atua na vida dos seres estimulando em cada um os sentimentos de amor, fraternidade e união.

Seu elemento é o mineral. Suas vibrações, magnetismo e irradiações atuam sobre os seres estimulado os sentidos de amor e acelerando a união e a concepção.

Beleza, vaidade e sensualidade. Estes são atributos que Mãe Oxum, a ‘deusa’ do amor da Umbanda, guarda e estimula nos seres.

Tida como senhora das águas doces que irrigam os campos, atua na geração da fartura e, por isso, identifica-se com todas as manifestações de riqueza.

Oxum está em tudo, pois, se amamos algo ou alguém é porque ela está dentro de nós. É como o rio que sempre caminha pro mar.

Oxum na Umbanda é a força dos rios que correm sempre adiante, levando e distribuindo pelo mundo sua água que mata a sede.

É a Mãe da água doce e Rainha das cachoeiras. Orixá da prosperidade e da riqueza interior, ela é a manifestação do Amor, puro, real, maduro, sensível e incondicional, por isso é associada à maternidade e ligada ao desenvolvimento da criança ainda no ventre da mãe.

É Oxum que gera o nascimento de novas vidas que estarão no período de gestação numa bolsa de água – como ela, Oxum, rainha das águas.

É Ela também que ‘tomará conta’ até o nascimento, quando então ‘entrega’ a Iemanjá, que será responsável pelo destino daquela criança.

Oxum é a mãe das crianças, seres inocentes e sem maldade, zelando por elas desde o ventre até que adquiram a sua independência.

Os seus filhos são a sua maior riqueza.

Oxum é o amor, mais do que isso: é a capacidade de sentir amor.”

(Umbanda Eu Curto)